Pesquisa requer maturidade para ouvir respostas

Pesquisa requer maturidade para ouvir respostas

19/07/2017
Por Nilton Oliveira
 
Apesar de inúmeros exemplos bem-sucedidos de aplicação de pesquisa de mercado, esta ainda pode soar para alguns como algo pomposo, muito caro e complicado para se colocar em prática. O fato é que quem faz a pergunta certa às pessoas e nos momentos igualmente certos pode obter respostas que contribuirão em muito para, se for o caso, corrigir o rumo tomado pela empresa, na direção do crescimento. Além do mais, as ferramentas utilizadas nessa operação podem estar mais à mão do que se imagina.
 
A Matéria de Capa desta edição traz várias dicas de como fazer uma boa pesquisa, mesmo sem contratar um fornecedor especializado. Dedicamos um bom espaço a esse tema, na certeza de que isso ajudará nossos clientes a perceberem o quão valioso é tomar o pulso do mercado, identificar as tendências em nosso setor, as mudanças mais marcantes no comportamento do consumidor e o grau de satisfação dos clientes, para citar apenas alguns dos benefícios obtidos com esse tipo de investigação.
 
A bem da verdade, não se trata somente de olhar para fora. É o caso de voltar as atenções também para a própria empresa, para identificar, por exemplo, a satisfação e o nível de engajamento dos próprios colaboradores –afinal, são eles a interface da empresa com seus públicos.
E atenção: para que os benefícios da pesquisa sejam efetivos, é necessário que você não apenas interprete adequadamente o resultado, mas que dê o devido crédito às respostas dadas. É necessário ter maturidade para interpretar o que disse seu público e entender de que forma você pode agir para melhorar sua empresa. O fato é que a pesquisa não se encerra nela mesma: ela deve, isto sim, gerar uma ação, com possíveis mudanças.
Por falar em tendências, vale a pena conferir a seção Gestão, que aponta a conversão do tradicional gerente de vendas no varejo no gerente de atendimento, profissional cuja atuação também foca vendas, mas a partir de um olhar estratégico e totalmente apoiado na equipe.
 
A seção Vitrine resgata a importância da fachada da loja como primeiro ponto de interesse e atenção de quem se dirige a ela ou passa por ela. Uma fachada bem resolvida sinaliza que a loja toda é bem resolvida e a favor do cliente.
 
A seção Mercado também está imperdível. Afinal, em tempos bicudos como os atuais, quem em sã consciência vai querer dar mole para o azar e, no caso de algum sinistro na loja, correr o risco de não conseguir recuperar o que foi perdido para um meliante ou por conta de um raio? O seguro do negócio, portanto, não é opção, é a mais pura obrigação.
 
Boa leitura.