Consulte o acervo da Revista Pellegrino utilizando a busca.

“Autopeças”, “auto peças” ou “auto-peças”?

Could not connect to Mailchimp

“Autopeças”, “auto peças” ou “auto-peças”?

02/07/2013

Texto | Professor Tibúrcio Penaforte

Pedro Ivo é um cliente super legal. Mesmo sendo informado de que precisamos de uma semana para entregar alguns itens, ele fez uma mega compra com a gente.

Bom seria se todos os clientes fossem compreensivos e valorizassem parcerias como nosso amigo Pedro. Mas, ao contrário do que se afirma acima, ele não pode ser super legal. E nem pôde fazer uma mega compra em lugar nenhum. A culpa não é dele. É desses (super e mega) e de uma penca de outros prefixos cujo emprego é um tanto chatinho – como auto, extra, hiper, infra, inter, macro, mega, micro, mini, penta e ultra, só para citar os mais comuns no dia-a-dia.

Regra geral, o prefixo super se “gruda” na palavra seguinte. Logo, superlegal, e não super legal. Super só é separado da palavra seguinte (por um hífen), quando esta começa com H ou R. Exemplos: super-homem, super-rádio. Já o prefixo mega sempre “cola” na palavra seguinte: megacompra, megaliquidação.

O prefixo auto, muito usado no seu dia-a-dia, só não “gruda” diretamente na palavra seguinte quando esta é iniciada por vogal (a, e, i, o, u), H, R ou S. Exemplos: autoescola, auto-serviço. Agora, você deve estar se perguntando: “Autopeças, auto-peças ou auto peças?”.

O certo é autopeças. Então, se o nome de sua loja inclui o termo “Auto Peças”, ele está errado? Sim e não. Explico: sim, por tudo o que foi dito acima; e não, porque se trata de um nome próprio (nome de pessoas, de empresas, de instituições etc.). Ou seja, você pode batizar seu “filho” como bem entender: Maicon ou Michael; Autopeças ou Auto Peças, por exemplo.